fbpx

10 questões sobre Iluminismo!

Voltar

Questões sobre o Iluminismo

1. Mackenzie – Sobre o iluminismo, é correto afirmar que:

a) defendia a doutrina de que a soberania do Estado absolutista garantiria os direitos individuais e eliminaria os resquícios feudais ainda existentes.
b) propunha a criação de monopólios estatais e a manutenção da balança de comércio favorável, para assegurar o direito de propriedade.
c) criticava o mercantilismo, a limitação ao direito à propriedade privada, o absolutismo e a desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.
d) acreditava na prática do entesouramento como meio adequado para eliminar as desigualdades sociais e garantir as liberdades individuais.
e) consistia na defesa da igualdade de direitos e liberdades individuais, proporcionada pela influência da Igreja Católica sobre a sociedade, através da educação.

2. Fatec – As grandes revoluções burguesas do século XVIII refletem, em parte, algumas ideias dos filósofos iluministas, dentre as quais podemos destacar a que

a) apontou a necessidade de limitar a liberdade individual para impedir que o excesso degenerasse em anarquismo.
b) acentuou que o Estado não possui poder ilimitado, o qual nada mais é do que a somatória do poder dos membros da sociedade.
c) visou defender a tese de que apenas a federalização política é compatível com a democracia orgânica.
d) mostrou que, sem centralização e dependência dos poderes ao Executivo, não há paz social.
e) procurou salientar que a sociedade industrial somente se desenvolverá a partir de minucioso planejamento econômico.

3. PUC-MG – O Iluminismo representa a visão de mundo da intelectualidade do século XVIII, NÃO podendo ser apontado como parte do seu ideário:

a) combate às injustiças sociais e aos privilégios aristocráticos.
b) fortalecimento do Estado e o cerceamento das liberdades.
c) o anticolonialismo e o repúdio declarado à escravidão.
d) o triunfo da razão sobre a ignorância e a superstição.
e) o anticlericalismo e a oposição à intolerância religiosa.

4. UEL– “A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão teria grande repercussão no mundo inteiro. ‘Este documento é um manifesto contra a sociedade hierárquica de privilégios nobres, mas não um manifesto a favor de uma sociedade democrática e igualitária. Os homens nascem e vivem livres e iguais perante a lei, dizia seu primeiro artigo; mas também prevê a existência de distinções sociais, ainda que somente no terreno da utilidade comum’…”

Assinale a alternativa que identifica um dos artigos da Declaração que prevê a distinção a que o texto se refere.

a) “A propriedade privada é um direito natural, sagrado, inalienável e inviolável.”
b) “Os cidadãos de conformidade com suas posses devem contribuir com as despesas da administração pública.”
c) “A garantia dos direitos do homem e do cidadão necessita de força pública que deve ser instituída em benefício de todos…”
d) “A lei só tem direito de proibir as ações que sejam prejudiciais à sociedade.”
e) “Ninguém pode ser molestado por suas opiniões, mesmo religiosas, desde que sua manifestação não perturbe a ordem pública…”

5. UEBA – No período do Iluminismo, no século XVIII, o filósofo Montesquieu defendia:

a) divisão da riqueza nacional.
b) divisão dos poderes executivo, legislativo e judiciário.
c) divisão da política em nacional e internacional.
d) formação de um Poder Moderador no Congresso Nacional.
e) implantação da ditadura moderna.

6. FGV-SP “O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles (…) A ordem social é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. Tal direito, no entanto, não se origina da natureza: funda-se, portanto, em convenções.” J.J. Rousseau, Do contrato social. in: Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978, p. 22.

A respeito da citação de Rousseau, é correto afirmar:

a) Aproxima-se do pensamento absolutista, que atribuía aos reis o direito divino de manter a ordem social.
b) Filia-se ao pensamento cristão, por atribuir a todos os homens uma condição de submissão semelhante à escravatura.
c) Filia-se ao pensamento abolicionista, por denunciar a escravidão praticada na América, ao longo do século XIX.
d) Aproxima-se do pensamento anarquista, que estabelece que o Estado deve ser abolido e a sociedade, governada por autogestão.
e) Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber a ordem social como um direito sagrado que deve garantir a liberdade e a autonomia dos homens.

7. (UFF 2010) O escritor e filósofo francês Voltaire, que viveu no século XVIII, é considerado um dos grandes pensadores do Iluminismo ou Século das Luzes. Ele afirma o seguinte sobre a importância de manter acesa a chama da razão: “Vejo que hoje, neste século que é a aurora da razão, ainda renascem algumas cabeças da hidra do fanatismo. Parece que seu veneno é menos mortífero e que suas goelas são menos devoradoras. Mas o monstro ainda subsiste e todo aquele que buscar a verdade arriscar-se-á a ser perseguido. Deve-se permanecer ocioso nas trevas? Ou deve-se acender um archote onde a inveja e a calúnia reacenderão suas tochas? No que me tange, acredito que a verdade não deve mais se esconder diante dos monstros e que não devemos abster-nos do alimento com medo de sermos envenenados”.

Identifique a opção que melhor expressa esse pensamento de Voltaire.

a) Aquele que se pauta pela razão e pela verdade não é um sábio, pois corre um risco desnecessário.
b) A razão é impotente diante do fanatismo, pois esse sempre se impõe sobre os seres humanos.
c) Aquele que se orienta pela razão e pela verdade deve munir-se da coragem para enfrentar o obscurantismo e o fanatismo.
d) O fanatismo e o obscurantismo são coisas do passado e por isso a razão não precisa mais estar alerta.
e) A razão envenena o espírito humano com o fanatismo.

 

8. (UFPR 2010) A respeito do iluminismo, movimento filosófico que se difundiu pela Europa ao longo do século XVIII, considere as seguintes afirmativas:

1. Muitos filósofos franceses, entre eles Montesquieu, Voltaire e Diderot, foram leitores, admiradores e divulgadores da filosofia política produzida pelos ingleses, como John Locke com sua crítica ao absolutismo.

2. Quanto à organização do Estado, os filósofos iluministas não eram contra a monarquia, mas contra as ideias de que o poder monárquico fora constituído pelo direito divino e de que ele não poderia ser submetido a nenhum freio.

3. A descoberta da perspectiva e a valorização de temas religiosos marcaram as expressões artísticas durante o iluminismo.

4. Em Portugal, o pensamento iluminista recebeu grande impulso das descobertas marítimas.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.
b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.

9. (Enem 2013) “Os produtos e seu consumo constituem a meta declarada do empreendimento tecnológico. Essa meta foi proposta pela primeira vez no início da Modernidade, como expectativa de que o homem poderia dominar a natureza. No entanto, essa expectativa, convertida em programa anunciado por pensadores como Descartes e Bacon e impulsionado pelo Iluminismo, não surgiu “de um prazer de poder”, “de um mero imperialismo humano”, mas da aspiração de libertar o homem e de enriquecer sua vida, física e culturalmente.” CUPANI, A. A tecnologia como problema filosófico: três enfoques. Scientiae Studia, São Paulo, v. 2, n. 4, 2004 (adaptado).

Autores da filosofia moderna, notadamente Descartes e Bacon, e o projeto iluminista concebem a ciência como uma forma de saber que almeja libertar o homem das intempéries da natureza. Nesse contexto, a investigação científica consiste em:

a) expor a essência da verdade e resolver definitivamente as disputas teóricas ainda existentes.
b) oferecer a última palavra acerca das coisas que existem e ocupar o lugar que outrora foi da filosofia.
c) ser a expressão da razão e servir de modelo para outras áreas do saber que almejam o progresso.
d) explicitar as leis gerais que permitem interpretar a natureza e eliminar os discursos éticos e religiosos.
e) explicar a dinâmica presente entre os fenômenos naturais e impor limites aos debates acadêmicos.

10.  (Enem 2017) “Fala-se muito nos dias de hoje em direitos do homem. Pois bem: foi no século XVIII — em 1789, precisamente —  que uma Assembleia Constituinte produziu e proclamou em Paris a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Essa Declaração se impôs como necessária para um grupo de revolucionários, por ter sido preparada por uma mudança no plano das ideias e das mentalidades: o Iluminismo.” FORTES, L. R. S. O Iluminismo e os reis filósofos. São Paulo: Brasiliense, 1981 (adaptado).

Correlacionando temporalidades históricas, o texto apresenta uma concepção de pensamento que tem como uma de suas bases a:

a) modernização da educação escolar.
b) atualização da disciplina moral cristã.
c) divulgação de costumes aristocráticos.
d) socialização do conhecimento científico.
e) universalização do princípio da igualdade civil.

Questões comentadas

1. Alternativa C.

O movimento iluminista defendia a racionalidade sobre todos os aspectos, tanto sociais e econômicos, quanto culturais. O seu maior opositor era o absolutismo e o mercantilismo, pois propôs liberdade não só de expressão, mas também de mercado, reiterando a possibilidade de propriedades privadas e também a igualdade de direitos e deveres dos indivíduos.

2. Alternativa B.

As grandes revoluções burguesas do século XVIII se opunham ao movimento anterior, que era o absolutismo, que centralizava o poder na mão de uma só pessoa.

3. Alternativa B.

O iluminismo defendia a liberdade econômica e não a centralização.

4. Alternativa A.

A distinção citada é da redação do Art. 17 da Declaração Universal dos Direitos  Humanos (DUDH), que fala sobre o direito de todos terem propriedade privada, o qual deve ser respeitado. Na Constituição Federal, artigo 5º, inciso XXII, é previsto esse direito também e, por isso, a propriedade é um direito fundamental.

5. Alternativa B.

Com o objetivo de não centralizar o poder e não ser um absolutismo, defendia-se a divisão dos poderes em executivo, legislativo e judiciário.

6. Alternativa E.

O pensamento se aproxima do iluminista por pregar decisões por convenções e não por ordens hierárquicas, além de considerar a ordem social um direito sagrado, só assim os homens teriam liberdade e autonomia.

7. Alternativa C.

Voltaire acreditava que a razão e a verdade é que deveriam guiar os passos dos indivíduos, pois esses elementos são necessários no enfrentamento do obscurantismo e do fanatismo vigente.

8. Alternativa B.

Muitos filósofos de fato apoiaram a filosofia política e as críticas feitas ao absolutismo, mas muitos não eram contra a monarquia, só contra a ideia do cargo ser ocupado pelo poder divino, como se não pudesse ser questionado. Os temas mais religiosos ficaram “de lado” no iluminismo, assim como o misticismo, pois a importância e o enaltecimento ficaram para a razão.
Em Portugal, as navegações tinham foco apenas econômico e descoberta de novas terras.

9. Alternativa C.

Descartes e Bacon acreditavam que a razão ia além da libertação do homem da visão defendida pela igreja, era também um avanço científico.

10. Alternativa E.

A relação estabelecida no texto é entre a atualidade e os direitos do homem e do cidadão com a Revolução Francesa (iniciada em 1789), a qual foi baseada em ideias iluministas e rompeu o antigo regime francês e instituiu, a partir da promulgação da Declaração dos diretos do homem e do cidadão, o princípio universal da igualdade.