Questões sobre nazismo e fascismo!

Voltar

10 Questões sobre nazismo e fascismo

1) (UDESC SC/2018) “Depois das eleições (1933), a ditadura nazista dá início a uma autêntica limpeza da área: sindicatos e partidos são dissolvidos, suas sedes são invadidas, expropriados seus fundos e empastelados seus jornais. A lei de depuração de 7 de abril dá início a grande expurgo nas administrações e repartições públicas, eliminando esquerdistas, judeus e democratas. Os Larger, campos de concentração, começam a inchar: já são 45 em 1933, com quarenta mil internos, aproximadamente. Goring cria então a polícia secreta do Estafo (Gestapo), com funções repressivas e preventivas. Em julho passa a vigorar uma lei de esterilização de doentes hereditários. Em setembro é criada a Câmara Cultural do Reich, sob o controle de Goebbels. Intelectuais e artistas perdem sua liberdade de expressão e organização: começa o êxodo para o exterior. (Lenharo, Alcir. Nazismo: o triunfo da vontade. São Paulo: Ática, 1986, p.29)

Tomando por base o texto de Alcir Lenharo, a respeito da Alemanha sob o governo de Adolf Hitler, analise as proposições.

I. A partir de 1933, por meio de medidas de emergência, foi proibido o funcionamento legal dos partidos de oposição.
II. O governo de Hitler usou fortemente cinema, rádio e propaganda para a propagação do ideário nazista.
III. O exílio foi a opção de muitos intelectuais, artistas, poetas, escritores que perceberam os perigos do ideário nazista, pautado pela superioridade da chamada raça ariana.
IV. O governo de Hitler foi unânime entre o povo alemão. Prova disso é a inexistência de quaisquer resistências ou atentados contra sua vida entre 1933 e 1945.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.
c) Todas as afirmativas são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.

2) (UCB DF/2017) Assim como o fascismo italiano, o nazismo alemão também tirou proveito da conjuntura de crise herdada da Primeira Guerra para ganhar espaço e poder. A crise alemã era mistura explosiva: combinava desemprego, inflação e achatamento salarial, mas tinha um complicador a mais: a Alemanha foi considerada a principal culpada pela guerra e teve de assinar o Tratado de Versalhes.
BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História, sociedade e cidadania: 3º ano.
1a ed. São Paulo: FTD, 2013, com adaptações.

Considerando as estratégias utilizadas por Adolf Hitler para superar a profunda crise econômica alemã e reerguer o país, assinale a alternativa correta.

a) Hitler defendia a democracia. Segundo ele, somente por meio da participação popular nas grandes decisões, teria o Estado força para colocá-las em prática.
b) Em sua obra Mein Kampf (Minha Luta), Hitler propôs a prerrogativa da soberania dos Estados e a inviolabilidade de seus territórios por outros países, princípio garantidor da paz entre as nações.
c) Para Hitler, o comunismo seria um grande aliado para que a Alemanha pudesse superar a grave crise econômica.
d) No poder, como chefe de governo (1933), Hitler fortaleceu os sindicatos e partidos políticos para formar um governo de coalisão e poder governar.

3) (PUC RS/2015) Analise as afirmativas sobre os totalitarismos nazista e fascista do período entreguerras, preenchendo os parênteses com F (falso) ou V (verdadeiro).

( ) Os movimentos totalitários combatiam o liberalismo e o marxismo, contra os quais opunham o discurso nacionalista.
( ) Tanto o nazismo quanto o fascismo receberam amplo apoio dos estratos mais pobres da população.
( ) Ao contrário do nazismo, o fascismo, uma vez no poder, não criou um mecanismo estatal especializado em propaganda.
( ) A questão racial foi mais enfatizada pelo discurso nazista do que pelo fascismo.
( ) O nazismo e o fascismo foram fenômenos políticos restritos à Alemanha e à Itália, não exercendo influência em outros países do Ocidente.

O correto preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é

a) V – F – F – V – F
b) V – V – F – V – F
c) V – F – V – F – F
d) F – F – F – V – V
e) F – V – V – F – V

4) (UNIMONTES MG/2008) Sobre o Nazismo, é INCORRETO afirmar que:

a) foi favorecido pela crise do capitalismo norte-americano no final da década de 1920, uma vez que a Alemanha já estava reinserida na economia mundial.
b) se tratava de um movimento político, sem qualquer relação com sentimentos e crenças anteriormente existentes na sociedade alemã.
c) o programa de metas do nazismo atraiu a classe média alemã porque ela estava temerosa do avanço do socialismo.
d) o nacional-socialismo nazista previa a criação da Grande Alemanha, entendida como espaço vital para a realização do “destino ariano”.

5) (UNITAU SP/2014) Sobre os regimes totalitários nazi-fascistas, assinale a afirmativa CORRETA:

a) O nazismo e o fascismo são doutrinas baseadas no nacionalismo e no totalitarismo, cuja política intervencionista buscava a estabilidade do Estado.
b) As ideias nazistas foram difundidas graças ao talento oratório de Mussolini, as publicações do partido e ao uso de meios espetaculares para influenciar a opinião pública.
c) Foi em um clima de estabilidade econômica e social que Hitler fundou, em 1921, o Partido Nacional Fascista, na Alemanha.
d) O nazismo consolidou uma política interna de miscigenação racial e social, visando preparar a Itália em função de seu expansionismo territorial.
e) O nazismo encontrou grandes dificuldades para implantar o socialismo, pois sofreu uma violenta oposição dos setores conservadores da burguesia e da classe média alemã.

6) (UFJF MG/2016) O século XX foi marcado pela presença de importantes regimes autoritários, nascidos em diferentes países. Suas origens explicam-se pelos fatores internos à cada país, mas todos repercutiram em escala internacional gerando uma série de conflitos. Sobre essa época, assinale a questão INCORRETA:

a) Dentre os regimes ditatoriais podemos citar o salazarismo em Portugal, o franquismo na Espanha, bem como o nazismo na Alemanha e o fascismo na Itália.
b) De forma geral, os países que passaram por governos ditatoriais caracterizavam-se pela presença de líderes absolutos, partido único, nacionalismo, censura da imprensa; controle de aspectos da vida pública, como também da vida privada.
c) Pela exaltação da imagem do governante, burocratização do Estado, aliada à força do partido único e à repressão violenta às oposições, o stalinismo pode ser considerado também um governo autoritário.
d) O Brasil também contou com um governo autoritário quando da implantação do Estado Novo. Este se caracterizou pela hegemonia do poder executivo, intervenção nos estados, perseguição e censura aos adversários.

7) (FGV/2016) Hitler referia-se frequentemente à necessidade da guerra, oscilando do ponto de vista mítico ao do estrategista militar (…) e toda sua concepção de política se apoiava sobre a necessidade histórica de assegurar ao povo alemão seu espaço vital. Como o espaço vital sempre fora conservado ou conquistado pela luta, não via outra alternativa senão fazer uso ‘defensivo’ da guerra, que seria o ‘objetivo derradeiro da política’. LENHARO, A., Nazismo. “O triunfo da vontade”. São Paulo: Ática, 1998, p. 75.

O “espaço vital” evocado na Alemanha nazista referia-se

a) aos territórios localizados na África, onde minorias alemãs eram oprimidas pelas elites locais.
b) ao território alemão, que deveria ser defendido das investidas expansionistas de franceses, poloneses e eslovacos.
c) às terras dos judeus, em toda a Europa, que deveriam ser incorporadas aos domínios alemães.
d) aos territórios e países controlados por regimes fascistas como Espanha, Portugal e Itália.
e) a territórios localizados a leste da Alemanha e às áreas cedidas à França pelo Tratado de Versalhes.

8) (UNICAMP SP/2017) “Hitler considerava que a propaganda sempre deveria ser popular, dirigida às massas, desenvolvida de modo a levar em conta um nível de compreensão dos mais baixos. (…) O essencial da propaganda era atingir o coração das grandes massas, compreender seu mundo maniqueísta, representar seus sentimentos.”
(Alcir Lenharo, Nazismo: o triunfo da vontade. São Paulo: Ática,1986, p. 47- 48.)

Sobre a propaganda no nazismo, é correto afirmar:

a) o nível elementar da propaganda era contraposto às óperas e desfiles suntuosos que o regime nazista promovia.
b) a propaganda deveria restringir-se a poucos pontos, como o enaltecimento da superioridade racial e a defesa da democracia.
c) a propaganda deveria estimular o ódio das massas contra grupos específicos, como os judeus, negros, homossexuais e ciganos.
d) o cinema e a produção artística foram as áreas que resistiram ao sistema de propaganda do nazismo na Alemanha do final da década de 1930.

9) (Mackenzie SP/2017) Leia o texto: “O terror como substituto da propaganda alcançou maior importância no nazismo do que no comunismo. Os nazistas (…) matavam pequenos funcionários socialistas ou membros influentes dos partidos inimigos, procurando mostrar à população o perigo que podia acarretar o simples fato de pertencer a um partido. Esse tipo de terror dirigido contra as massas era valioso (…) e aumentou progressivamente porque nem a polícia nem os tribunais processavam seriamente os criminosos políticos da chamada Direita. Para a população em geral, tornava-se claro que o poder dos nazistas era maior que o das autoridades, e que era mais seguro pertencer a uma organização nazista do que ser um republicano leal”. Hannah Arendt. Origens do totalitarismo: Antissemitismo, imperialismo, totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012, p. 477

É correto afirmar que, no Nazismo assim como em outros regimes totalitários,

a) a atuação de grupos paramilitares se mostrou menos eficiente do que a propaganda e o terror sobre a população, pois atos terroristas eram frontalmente combatidos pelas autoridades governamentais.
b) adesão das massas socialistas e republicanas às ações do governo era fundamental, pois legitimava as ações de Hitler; daí o uso intenso do terror e da propaganda como forma de trazer o apoio das massas.
c) o uso do terror era de fundamental importância, na medida em que pressionava a população para a coletividade das ações, não deixando, assim, espaço para expressões de pensamento e ideologias diferentes.
d) a propaganda e o terror eram faces da mesma moeda, pois impediam qualquer manifestação contrária ao governo, pressionando a população pela filiação em partidos políticos defensores da política oficial.
e) a deslegitimação do pensamento contrário era fundamental, pois só assim seria implantada a coletividade necessária para a realização das políticas de bem-estar social, defendidas por Hitler e levadas a cabo na Itália e no Brasil.

10) (UNITAU SP/2016) “No nazismo, temos um fenômeno difícil de submeter à análise racional. Sob um líder que falava em tom apocalíptico de poder ou destruição mundiais, e um regime fundado numa ideologia absolutamente repulsiva de ódio racial, um dos países mais cultural e economicamente avançados da Europa planejou a guerra e lançou uma conflagração mundial que matou mais de 50 milhões de pessoas”. KERSHAW, Ian, 1993, p.3-4, apud HOBSBAWM, Eric. A era dos extremos. São Paulo: Companhia das Letras, 1993, p.113.

Em linhas gerais, podemos caracterizar a ideologia nazista como

a) nacionalista e anticomunista.
b) marxista e pacifista.
c) nacionalista e pluripartidarista.
d) racista e internacionalista.
e) estadista e anticapitalista.

 

Questões comentadas

1) Alternativa A.

Por ser um partido totalitarista, não podia haver opositores, a única propagando permitida era à favor do nazismo e quem discordasse deveria se exilar (ou era obrigado a se exilar). Sendo assim, notamos que haviam opositores, não era um governo aceito de forma unânime.

 2) Alternativa A.

Ao dizer que Hitler defendia a democracia queremos assinalar que antes de instaurar o seu regime nazista, ele precisou convencer a população de que a participação dela em grandes decisões era fundamental para que o Estado as colocasse em prática. Desse modo, ele conseguiu um grande apoio popular, com esse falso discurso.

3) Alternativa B.

A propaganda fascista era até mais forte que a nazista e utilizava os veículos de comunicação, como TV e rádio, para reforçar as posições individuais de Mussolini como se fossem benéficas para o povo. Desse modo, a influência do nazismo e do fascismo não ficaram restritas à Alemanha e à Itália. Influenciou o Ocidente, principalmente Portugal e Espanha, que também tiveram regimes ditatoriais.

4) Alternativa B.

O Nacional Socialismo, conhecido pela sua abreviatura “Nazismo” é uma ideologia política racista, que começou a ser disseminada amplamente pelo Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. Esse partido foi criado em 1920, por Anton Drexler, na Alemanha.

5)  Alternativa A.

Dizer que um regime é totalitarista é dizer que todo e qualquer processo ou evento, independentemente da natureza, é controlado única e exclusivamente pelo Estado. Isso fica claro pela censura em músicas, obras literárias, veiculação de propagandas e outros acontecimentos. Ao dizer que é nacionalista, significa que a pátria é o bem maior, ela deve ser protegida, exaltada e vitoriosa não importa o que aconteça. Essas duas características surgiram para reforçar o papel da Alemanha perante a “humilhação” declarada no Tratado de Versalhes (documento que assinou a derrota do país e lhe impôs várias sanções.

6) Alternativa D.

7) Alternativa E.

Hitler não aceitava ter perdido terras pelo Tratado de Versalhes e queria recuperar e estender seus territórios.

8) Alternativa C.

A propagando foi muito importante para espalhar a ideologia nazista. Ela era usada, principalmente, para glorificar a figura do líder e defender a superioridade da raça ariana.

9) Alternativa C.

O terror era um elemento fundamental para conseguir manter a população “na linha”, porém não impedia reações contrárias e nem obrigava se aliarem a políticos defensores da política oficial, porque só havia um único, que já estava no poder.

10) Alternativa A.

Era nacionalista por considerar a Alemanha como um bem maior, que deve ser protegido, exaltado e vitorioso não importa o que aconteça, e anticomunista por pregar uma suposta ameaça de Revolução Comunista Soviética.