Faculdade, Centro Universitário ou Universidade?

Voltar

O famoso é pavê ou pacumê, né?

Neste post vamos te mostrar as diferenças entre faculdade, centro universitário e universidade.

Diferenças

A faculdade é a menor unidade do ensino superior, ou seja, os centros universitários e as universidades nada mais são do que complexos formados por faculdades. Elas possuem como foco a capacitação para a vida profissional e geralmente focam em uma determinada área do conhecimento. Por isso, a quantidade de cursos oferecidos é menor e não há obrigação de promover cursos de extensão, produzir pesquisas ou então oferecer pós-graduação. Como exemplo, podemos citar o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), que oferta seis cursos de engenharia.

(Instituto Tecnológico de Aeronáutica. Foto: Jorge Gripp)

Os centros universitários, por sua vez, abrangem uma ou mais áreas do conhecimento, sendo uma boa escolha tanto para quem quer seguir carreira profissional como acadêmica. Para ser um centro universitário, é preciso que um terço do corpo docente possua formação como mestre ou como doutor, além de ser preciso que pelo menos um quinto dos docentes seja contratado em regime integral com a instituição.

Assim como as faculdades, não tem obrigação de oferecer curso de extensão, pesquisas e nem pós-graduação. Têm, no entanto, autonomia para criar novos cursos de graduação e programas de ensino, sem autorização necessária do Ministério da Educação, diferenciando da faculdade, que é obrigatório ter autorização. Como exemplo, podemos citar o Centro Universitário Belas Artes.

(Foto: Divulgação)

Por fim, a universidade tem como foco a vida acadêmica, mesmo que capacite de forma excelente para o mercado de trabalho também. Ela abrange diversas áreas do conhecimento e oferece uma grande quantidade de cursos. Além disso, é obrigada a oferecer atividades de ensino, pesquisa e extensão, bem como programas de pós-graduação.

Ressalta-se que para ser universidade, os três pilares citados- ensino, pesquisa e extensão- devem ter uma produção intelectual cultural e científica relevante. No mínimo, um terço do corpo docente deve ter titulação de mestrado ou doutorado e, também, no mínimo um terço do corpo docente deve atuar com dedicação integral. Como exemplo, podemos citar a USP, UNESP e UNICAMP.

(Fonte: Site Oficial da Unicamp)

O que significa “pública”, “gratuita” e “de qualidade”?

É comum que se fale em “universidade pública, gratuita e de qualidade”, mas se é pública não é óbvio que seria gratuita? Bom, não necessariamente.

Público significa ser de responsabilidade do governo e ser administrada com dinheiro público, porém o item gratuito só se aplica se o setor em questão for obrigado a fornecer o Ensino Superior.

Exemplificando: a Faculdade de Direito de Franca é uma instituição pública, pois é responsabilidade Municipal, porém como os municípios não são obrigados a fornecerem ensino superior, ela é uma instituição pública e paga. Enquanto isso, instituições federais ou estaduais são gratuitas, já que os estados e a União devem oferecer obrigatoriamente ensino superior. Um exemplo de universidade pública e gratuita é a UFSCar.

As universidades públicas recebem investimentos dos órgãos públicos, podendo ser estadual, federal ou até mesmo municipal. Apesar de haver verbas específicas para as universidades, por vezes as verbas são insuficientes e nos últimos anos tem sofrido cortes. A destinação dessas é para manter o funcionamento e para fomentar pesquisas, de modo a intensificar a produção de novos conhecimentos.

Assim sendo, é muito comum que elas sejam de altíssima qualidade, sendo reconhecidas nacionalmente e internacionalmente. É pela questão da qualidade que o peso delas no currículo é muito forte.

Image

(Fonte: Site Oficial da Faculdade de Direito de Franca)

Gostou do post? Siga o Insta do GabaritaGeo para continuar antenado!!