Faculdade privada é ruim?

Voltar

Bom, te mostraremos nesse post um pouco das vantagens e desvantagens da faculdade privada.

Das 2.608 instituições de ensino superior existente no Brasil, 2.306 são privadas e 302 públicas. O número de faculdades privadas cresceu nos últimos anos não só em quantidade, mas também em infraestrutura e qualidade de ensino.

A facilidade de acesso, a menor disputa e a grande oferta de cursos em um só lugar são atrativos para as instituições privadas, ainda mais levando em conta que há tantas opções, como notamos nos dados acima.

Como o intuito das faculdades, no geral, e das privadas, principalmente, estão voltadas para o mercado de trabalho, o viés dos cursos busca desenvolver competências que as empresas buscam. Para isso, investiga-se o que está “em falta” no mercado, para que os alunos sejam capacitados a enfrentarem os desafios da inserção no mercado e serem destaque.

Essas faculdades possuem boa infraestrutura e são rápidas em suas atualizações, investindo constantemente na melhoria dos laboratórios, bibliotecas, salas de aula e espaços de convivência. Há a preocupação com a evolução tecnológica, assim as instituições tentam estar em sintonia com as práticas que as empresas adotam, usando os novos softwares e ferramentas do mundo corporativo.

Apesar de algumas mensalidades serem caras, há financiamentos estudantis, como o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) e o PraValer. Cada um desses possui seus próprios critérios de seleção e concessão de descontos.

Os cursos das particulares são de menor carga horária, o que pode ser interessante caso necessite trabalhar e estudar ao mesmo tempo. Assim, os períodos e horários são rigorosamente cumpridos.

Os professores dessas faculdades são comprometidos, ativos e preparados, pois sabem que podem ser demitidos caso não estejam atingindo as expectativas dos alunos ou da instituição. As instituições também investem em projetos de pesquisa e qualificação dos professores, o que incentiva um plano de carreira atrativo para os docentes, que se sentem inspirados.

Como são focadas no mercado de trabalho, as pesquisas acabam ficando em segundo plano. Não é comum que haja incentivo ou então disponibilidade para que iniciações científicas sejam desenvolvidas. No entanto, podemos encontrar professores que sejam mestres ou doutores e que transmitem a importância da pesquisa aos alunos.

Citamos que há muitos cursos em um só lugar, no entanto, devemos prestar atenção em quais são ofertados, pois geralmente são os mais tradicionais e procurados pelo mercado: Direito, Marketing, Medicina e outros. É muito complicado encontrar ofertas de cursos mais específicos.

Se você deseja se formar sem correr nenhum risco de ter seus estudos interrompidos por greves ou instabilidades no calendário académico, a faculdade particular é a sua opção. E se você deseja uma grade bem “redondinha”, com turnos fechados e garantia de seguir o calendário letivo na mesma velocidade do calendário regular, a faculdade particular também é sua opção.

 

Faculdades

As instituições privadas também possuem excelência, qualidade e são referências, dentre elas podemos citar a Pontifícia Universidade Católica (PUC), a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a Universidade Presbiteriana Mackenzie (Mackenzie), a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e a Universidade Paulista (UNIP).

Algumas dessas faculdades utilizam as notas do ENEM como opção de ingresso e também algumas possuem o seu próprio vestibular. Os vestibulares dessas podem ser feitos em datas marcadas, o que facilita para que o vestibulando adeque na sua disponibilidade e seus estudos.

O governo garante a qualidade do ensino privado exigindo que se cumpra requisitos básicos das leis educacionais. Se o curso não é certificado pelo Ministério da Educação (MEC), por exemplo, ele não tem validade no mercado.

 

Gostou do post? Siga nos acompanhando aqui e no Instagram!!!