O que é financiamento estudantil?

Voltar

Sabemos que o ingresso em uma universidade pública é concorrido e que alguns desejam ingressar em faculdades privadas em decorrência disso, porém as mensalidades costumam ser altas. Por isso, neste post, discutiremos sobre financiamentos estudantis.

SiSU, ProUni e FIES

Bom, primeiramente, vamos esclarecer a tríade SiSU, ProUni e FIES.

O Sistema de Seleção Unificada (SiSU) é a plataforma do Ministério da Educação (MEC) que oferece as vagas das universidades, institutos e centros federais e estudais. As vagas oferecidas são das instituições que aceitam o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como critério de seleção, por exemplo, não é porque a universidade é estadual que ela obrigatoriamente tem que aceitar ENEM, então fique atento para ver se a sua escolha tem a opção do SiSU. Para se inscrever nas vagas da plataforma, o aluno precisa ter participado do ENEM do ano anterior e ter tirado nota acima de zero na redação.

O Programa Universidade para Todos (ProUni) oferece bolsas de estudo, que podem ser integrais ou parciais, aos estudantes. Para que a bolsa seja concedida, os candidatos devem ter prestado a prova do ENEM, obtido uma média mínima de 450 pontos nas provas de conhecimentos e não ter zerado a redação. Quanto maior a pontuação, maior a chance de ser selecionado.

Há alguns outros requisitos: ter completado o ensino médio na rede pública (ou na rede particular com bolsa integral) e possuir uma renda familiar mensal bruta de até um salário mínimo e meio, para bolsa integral, e de até três salários mínimos, para bolsa parcial.

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) oferece financiamento de mensalidades em faculdades particulares. Para participar, os estudantes também devem ter prestado o ENEM e obtido uma média de 450 pontos, com nota acima de zero na redação. A seleção também leva em conta a renda familiar, porém o seu limite é maior do que a do ProUni.

O que é financiamento estudantil?

O financiamento nada mais é do que um empréstimo. Esse empréstimo faz com que a instituição em questão pague as mensalidades do curso, ou parte delas, e em troca o estudante pode estudar e pagar a dívida no futuro.

O pagamento tem um prazo maior para pagar do que o tempo que levará para se formar, gerando valores de parcelas consideravelmente menores. O financiamento pode ser público, com o FIES, ou privado, como o PraValer. Cada uma adota seu banco, seus critérios e juros. O tempo disponível para quitar a dívida costuma ser maior no financiamento público e as taxas são menores também.

É importante assinalar que o financiamento estudantil não é um benefício, é uma operação financeira, até quando é fornecido pelo governo. Por isso que o estudante tem a obrigação de pagar pelo dinheiro emprestado, as vezes com juros, ajustes, taxas administrativas ou outros possíveis acréscimos. Desse modo, leia atentamente o contrato que assinará, pesquise sobre os financiamentos, veja qual será mais interessante para você, em qual você se encaixará…Esteja sempre atento e tenha clareza de suas ações. 

Quais são os financiamentos?

FIES e P-FIES

O FIES é o financiamento mais conhecido pelos brasileiros. Foi criado em 2021 pelo MEC com o objetivo de facilitar a entrada dos estudantes de baixa renda no ensino superior. Ele é válido para cursos presenciais de faculdades particulares.

Recentemente surgiu a modalidade Programa de Financiamento Estudantil (P-FIES), o qual só se diferencia do FIES “original” pelo nível de renda que exige. Os estudantes que desejam se candidatar no FIES devem possuir uma renda de até três salários mínimos, quanto no P-FIES ela deve ser de três a cinco salários mínimos.

Sendo as exigências citadas anteriormente cumpridas, a inscrição é feita exclusivamente pela internet, em um período determinado. O candidato deve acessar o site oficial e responder um questionário socioeconômico, além de informar CPF, data de nascimento, e-mail, CPF dos componentes do núcleo familiar maiores de 14 anos e a renda bruta mensal de cada um deles, quando tiverem.

Depois dos dados pessoais, deve ser informado três opções de curso, em ordem de prioridade. Se pré-aprovado, a inscrição se completará e será necessário validar as informações junto à faculdade e ir ao banco assinar o contrato. Lembre-se que, as ofertas das vagas são de acordo com as instituições que aderiram ao FIES, que permitem esse tipo de financiamento.

Creducsul

O Creducsul também é um programa de financiamento, o qual é utilizado pela Universidades Cruzeiro do Sul (UNICSUL) e por instituições que fazem parte do chamado grupo Cruzeiro do Sul Educacional. Alguns membros do grupo são: a Universidade Cidade de São Paulo (UNICID), a Universidade de Franca (UNIFRAN) e o Centro Universitário do Distrito Federal (UDF).

Nesse programa, não há o pagamento integral das mensalidades e sim 50% delas, durante todo o curso. A dívida só começar a ser cobrada depois da formatura, sem juros.

Diferentemente do FIES, não há a necessidade de ter prestado o ENEM, basta o aluno se encaixar no perfil de renda familiar determinada pelo programa. A inscrição é feita pelo site da faculdade e depois há necessidade de apresentar holerite, RG, CPF e comprovante de residência, tanto do estudante quanto do fiador, o qual também tem que estar presente para assinar o contrato.

PraValer

O PraValer também pertence ao grupo Cruzeiro do Sul Educacional. Ele não cobra juros, não exige ENEM e permite que os alunos paguem as mensalidades referentes a um semestre (6 meses) no prazo de 12 meses.

Se desejar continuar, o financiamento deve ser renovado todos semestres. Há também a necessidade de um fiador, nome limpo e renda comprovada 2 vezes maior do que o valor da mensalidade. O valor do financiamento pode ser de até 50% do valor total do curso e o pagamento é feito durante o curso e após a formatura, com uma taxa de juros de aproximadamente 2,19% ao mês. O sócio do PraValer é o Banco Itaú, mas ele também possui parceria com a BV Financeira e com o AndBank.

Alguns apontamentos

O financiamento estudantil é, também, um investimento em você e na única coisa que não podem roubar de você: o conhecimento. Ao se qualificar e possuir um ensino superior, suas chances no mercado de trabalho aumentam e também as chances de melhores salários e cargos. Pode ser que com essa “ajuda”, o estudante não precise trabalhar e estudar ao mesmo tempo, ou então que não necessite acrescentar um gasto a mais imediatamente, o que é positivo na sua qualidade de vida e no seu rendimento acadêmico.

Por fim, como já citamos, tenha atenção nas suas ações e saiba exatamente o que está fazendo, analisando a sua dívida pós faculdade, o tempo que demorará para pagar, como irá pagar e se poderá pagar, para que não haja maiores complicações. É necessário um planejamento financeiro pessoal e familiar para assumir essa responsabilidade.

 

Gostou do nosso post??? Nos acompanhe também no Instagram!!!