Fisioterapia: O que eu preciso saber?

Voltar

Neste post te apresentaremos um pouco sobre o curso de fisioterapia e sobre as áreas de atuação do fisioterapeuta.

Carreira

O profissional formado em fisioterapia se dedicará a cuidar de outros seres humanos, atuando na recuperação e prevenção de lesões, no tratamento da manutenção e melhoria de desempenho dos atletas e na promoção de saúde à pacientes com problemas cardíacos e respiratórios, por exemplo.

Para o tratamento, o fisioterapeuta utiliza técnicas de ginástica, massagens, exercícios aquáticos, laser, movimentos com bola e elásticos, entre outros.

O graduado poderá trabalhar em hospitais, clínicas, consultórios de Fisioterapia, centros de reabilitação, clubes esportivos, asilos, como funcionário público ou privado, além de poder realizar atendimento domiciliar.

O curso

A graduação tem duração média de 4 anos, mas há faculdades que oferecem o curso em 5 anos, e a seu grau é ofertado como bacharel. A Fisioterapia faz parte da área de Ciências Biológicas e Ciências da Saúde, possuindo como objeto de estudo os movimentos humanos.

Para um desenvolvimento futuro eficaz, as disciplinas se mesclam em teóricas, laboratoriais e de prática. Ou seja, primeiro os alunos aprendem “no papel”, depois experimentam a observação/simulação nos laboratórios, para que posteriormente esteja em contato direto com o paciente e realize atendimentos.

Além das disciplinas “esperadas”, você precisa saber que a formação é voltada para elaboração de diagnósticos físicos e funcionais do paciente e para que isso seja aprendido terá disciplinas responsáveis por ensinar a interpretar exames clínicos e estabelecer relações entre o peso, a altura e a massa muscular do paciente.

Após diagnosticar, serão ensinados a planejar quais procedimentos devem utilizar em cada caso. Dentre as alternativas de tratamento, como citamos anteriormente, estão as técnicas de ginástica, massagens, exercícios aquáticos, laser, movimentos com bola e elásticos.

Ainda mais específico, cada uma dessas técnicas possui sua particularidade, por exemplo: o exercício com bolas grandes pode servir para a especialização que atuará com os médicos obstetras e ginecologistas, já os exercícios com bola menores, podem servir para auxiliar a recuperação de uma cirurgia na mão, de túnel do carpo.

Grade curricular

Como sempre enfatizamos, a grade curricular do curso pode variar de uma instituição para outra, seja em nome, em período de oferta ou até em como será ministrada. Apresentaremos a seguir um modelo de quais disciplinas, via de regra, contém o curso:

  • Anatomia Palpatória
  • Biofísica
  • Bioquímica
  • Cinesiologia Clínica
  • Controle Motor
  • Controle Postural e Avaliação de Postura
  • Desenvolvimento Motor
  • Disfunções Cardiovasculares
  • Disfunções Neurofuncionais
  • Eletroterapia Neuromuscular
  • Eletrotermoterapia
  • Estética Facial e Corporal
  • Fisioterapia Aplicada à Saúde do Trabalhador
  • Fisioterapia Aplicada ao Paciente Queimado
  • Fisioterapia Aplicada aos Traumas e Disfunções Ortofuncionais
  • Fisioterapia Aquática
  • Fisioterapia Desportiva
  • Função Muscular, Trofismo e Tônus
  • Hereditariedade
  • Manutenção do Corpo
  • Morfofisiologia Celular
  • Prescrição de Exercícios em Situações Especiais
  • Princípios Farmacológicos
  • Radiografia e Tomografia
  • Ressonância Magnética em Membros e Coluna Vertebral
  • Sistema Linfático e Drenagem Linfática
  • Suporte e Movimento
  • Terapia Manual
  • Ultrassonografia Musculoesquelética

É interessante observar que na fisioterapia a anatomia se divide em três tipos:

  • Anatomia responsável pelo entendimento geral do corpo;
  • Anatomia responsável pela compreensão do sistema nervoso;
  • Anatomia responsável pelo conhecimento dos músculos, das articulações, dos ossos e dos nervos.

Dentre essas, a última é a que ganhará mais destaque e enfoque no curso.

 

Não confunda!!

Apesar do fisioterapeuta fazer massagens ele não é um massoterapeuta. O massoterapeuta tem uma formação técnica e ele utiliza a massagem somente com a função de relaxamento, enquanto o fisioterapeuta a usa como um recurso para tratamento, para melhoria de saúde.

Fisioterapia não é a mesma coisa que Terapia Ocupacional!! A Terapia Ocupacional usa as técnicas para proporcionar aos indivíduos emancipação, que garantam os movimentos do dia a dia, possuindo, assim, uma função social. Por exemplo: fazer com que a pessoa seja capaz de comer sozinha, de forma autônoma.

 

Fisioterapia e suas particularidades

Como vimos, o fisioterapeuta não só lida com pessoas, mas lida com elas diretamente e constantemente. As sessões duram em média 1 hora de dedicação exclusiva do profissional perante aquele paciente, exigindo do fisioterapeuta paciência, compreensão e empatia.

É comum que trate de pessoas desanimadas com a sua situação atual e que o progresso lento chateia o paciente, por isso é interessante motivá-lo, sem mentir, é claro. É possível que muitos queiram desistir do tratamento devido a demora em ver melhorias em seus quadros. Atrelado a essa ansiedade de demora, é preciso pensar que as vezes a lesão e/ou trauma impeça o indivíduo de voltar a fazer o que ele ama, o que pode agravar ainda mais o psicológico.

Diante desse cenário, se reforça a importância de uma equipe no tratamento do paciente, por exemplo, o médico faz a cirurgia, o fisioterapeuta trata da recuperação e o psicólogo auxilia na parte mais emocional.

Especializações

Cardiologia e Pneumonia: Especialização que trata e previne as enfermidades cardíacas e respiratórias, além de cuidar dos pacientes nas etapas pré e pós-operatórias. Para melhoria dos aparelhos respiratórios e circulatórios, aplica e prescreve exercícios ideias a cada paciente.

Dermatologia: Responsável por fazer massagens, aplicar raios infravermelhos, ultravioletas e laser para a recuperação de queimaduras ou cicatrizes.

Fisioterapia Esportiva: Reabilita os atletas das lesões e melhora o desempenho esportivo.

Fisioterapia do Trabalho: As empresas, geralmente privadas, contratam esse especialista para prevenir que seus funcionários tenham lesões oriundas do trabalho repetitivo ou então da má postura. As sessões são de ginástica laboral.

Indústria de Equipamentos: Especialistas em desenvolver e testar novos equipamentos, que poderão, ou não, ser usados na reabilitação de pacientes.

Neurologia: Especialidade que cuida dos pacientes que possuem algum distúrbio neurológico, derrame cerebral e paralisia, por exemplo.

Ortopedia e Traumatologia: Os pacientes com fraturas, traumas ou luxações serão tratados por esse especialista, que tentará recuperar os movimentos do indivíduo e aliviar sua dor.

Fisioterapia em terapia intensiva: Especialidade delicada, pois trabalha com paciente internados em UTIs. Auxiliam na reparação pós trauma ou acidente, sendo as principais ações a retomada de funções respiratórias, neurológicas, musculares e outras, com o intuito de evitar complicações no quadro do paciente.

 

Gostou do post? Continue nos acompanhando aqui e no nosso Instagram!!!