Autores de literatura brasileira para ampliar sua bagagem cultural

Voltar

Sabemos que o conteúdo teórico é extremamente importante, mas a bagagem cultural também é!!!

Neste post te apresentaremos três escritores brasileiros contemporâneos. Duas grandes escritores mulheres, que são cobradas constantemente em vestibulares, e um jovem escritor, que vem ganhando cada vez mais espaço na literatura brasileira.

Conceição Evaristo

A escritora afro-brasileira Conceição Evaristo destaca-se pela sua atual importância para a Literatura Brasileira Contemporânea. Ela escreve sobre questões étnico-raciais, especialmente sobre a mulher negra e periférica.

Ela se graduou em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e atualmente é doutora pela PUC. Sua dissertação, publicada em 1996, foi intitulada Literatura Negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. Sua tese de doutorado intitulada Poemas malungos, cânticos irmãos, defendida em 2011, discute as obras poéticas de Nei Lopes e Edimilson de Almeida Pereira, poetas afro-brasileiros, comparando-as com a do angolano Agostinho Neto.

Apesar do reconhecimento de suas obras ter chegado lentamente, sua obra mais celebrada e conhecida na atualidade é o livro de contos Olhos D’água, publicado pela primeira vez em 2014 e finalista do Prêmio Jabuti na categoria “Contos e Crônicas”.  Essa dificuldade em ser reconhecida é fruto do racismo e do machismo, problemas sociais que refletem diretamente no mercado editorial. Em uma entrevista, Evaristo declarou que o mercado editorial não considera mulheres e negros como sujeitos produtores de saber e de arte.

O tipo de literatura que Conceição produz a permite explorar, em suas obras, suas vivências pessoais e as relações que se formaram a partir dessas duas condições: mulher negra e periférica. Utilizando da nomenclatura da própria autora, suas escrevivências lhe permitem explorar ao máximo o formato literário e sua própria vida de forma vinculada e única, transformando a violência proveniente do classismo, do racismo e do machismo em partes intrínsecas à construção de seus textos. Utilizar a própria intimidade para construir obras  é se aproveitar desse recurso para ser presença na sociedade.

Em 2020, Conceição Evaristo, com Ponciá Vicêncio, passou a integrar a lista de 12 leituras obrigatórias para a prova de Literatura em Língua Portuguesa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

Hilda Hilst

Hilda Hilst foi uma poeta, ficcionista, cronista e dramaturga brasileira. Em suas obras abordava temas como misticismo, insanidade, erotismo e liberdade sexual feminina. A sua escrita teve como forte influência James Joyce e Samuel Beckett, utilizando-se do modo de narrar: fluxo de consciência e realidade fraturada.

Como observamos, seus temas eram controversos e até tabus sociais, principalmente no que diz respeito a liberdade sexual feminina, porém Hilst dizia que seu maior objetivo era retratar a difícil relação entre Deus e o homem.

Seu modo de escrever cria diversas possibilidades de leitura, já que é cheia de dobras e desdobras. A estrutura polissemia (de vários significados) origina epifanias, que são sentimentos súbitos de entendimento.

A escritora foi comprometida com a produção de sentidos, significados, possibilidades e produção de questionamentos, pois as obras eram extremamente intensas e eróticas. Uma de suas obras mais conhecidas é Amavisse, de 1989. Diversas questões de vestibulares já abordaram poemas da Hilda!

 

Raphael Montes

Raphael Montes é um jovem escritor, de 30 anos atualmente, que apesar de formado em Direito optou por seguir a sua vontade de ser escritor. Suas obras são de temática policial, com ambientação de suspense e terror psicológico.

O seu primeiro romance se chama Suicidas, publicado em 2012 e finalista dos prêmios São Paulo e Biblioteca Nacional. A obra teve seus direitos vendidos para adaptação ao cinema e ao teatro. O escritor conta que escreveu esse romance entre os seus 16 e 19 anos de idade, entre o final do ensino médio e primeiros anos de graduação. Posterior a esse romance, teve o Dias perfeitos, publicado logo após de concluir o curso de Direito.

Dias perfeitos foi escrito à pedidos da mãe, que ficou chocada com a história de Suicidas e pediu que o filho escrevesse uma história de amor. O resultado? Dias perfeitos narra a história de um psicopata que sequestra uma mulher e decide mantê-la em cárcere privado para que ela se apaixone por ele.

Em 2016, lançou o livro Bom dia, Verônica, em parceria com a escritora e criminologista brasileira Ilana Casoy. O livro foi assinado sob o pseudônimo Andrea Killmore, que era Raphael. A Netflix produziu uma séria baseada nessa obra. Como obra recente temos Uma mulher no escuro (2019), pela qual recebeu o Prêmio Jabuti.

 

Gostou das nossas recomendações? Esses autores podem contribuir, e muito, na sua bagagem cultural, o que te ajudará na redação e também nas questões dissertativas de segunda fase! Além de aprender para o vestibular, esses autores nos fazem refletir sobre a vida, principalmente por serem contemporâneos e brasileiros, isto é, escrevem sobre o que estamos vivendo e sentindo nesse exato momento.

 

Acompanhe-nos no Instagram!!!

Deixe um comentário